Turismo


Sairé

O Sairé é a mais antiga manifestação da cultura popular da Amazônia. A festa tem mais de 300 anos de história, mantendo intacto o seu simbolismo e essência. A origem remonta ao período da colonização, quando os padres jesuítas, na missão evangelizadora pela bacia do rio Amazonas, envolviam música e dança na catequese dos índios (essa é a hipótese mais provável, já que, antes da catequização, os indígenas não conheciam a religião cristã, nem os textos bíblicos e nem o mistério da Santíssima Trindade).
Com as mudanças ocorridas ao longo desses 300 anos, o Sairé foi ganhando novos contornos. Atualmente, é festejado no mês de setembro e consiste em um ritual religioso que se repete durante o dia, culminando com a cerimônia da noite – ladainhas e rezas – seguida da parte profana da festa, representada pelos shows artísticos (com apresentações de danças típicas) e pelo confronto dos botos Tucuxi e Cor-de-Rosa. São cinco dias de muita música, dança e rituais resultantes do entrelaçamento social e cultural entre os colonizadores portugueses e índios da região do Tapajós.


Festival Borari

O festival é o retrato do povo que primeiro habitou as terras de Alter do chão. No decorrer do evento são apresentadas músicas, danças, e alguns rituais indígenas, como o do fogo, da água, da fartura e também o ritual da cobra grande. A festividade começou a ser realizada na década de 90. Hoje, tem o mesmo objetivo inicial, retratar a origem dos índios Borari, primeiros habitantes de Alter-do-Chão. Através de danças, comidas e bebidas típicas, os moradores da vila promovem um resgate cultural de sua história.


Praias

- Pindobal – balneário mais isolado que proporciona um excelente contato com a natureza e belíssimas paisagens.

- Ponta de Pedras – Essa é uma das praias mais tranquilas da região de Santarém. Durante o período da vazante do rio Tapajós, de agosto a dezembro, imensas pedras surgem entre as areias claras e finas dessa praia de água doce, tornando o local um dos mais belos cenários da região.


Flona

Fundada em 1974 a Floresta Nacional do Tapajós (Flona), é uma importante área de preservação localizada nos limites dos municípios de Belterra, Placas e Ruropólis. Ao longo dos seus 527.000 hectares é possível encontrar espécies variadas de plantas e animais característicos da região amazônica. Para entrar na área é necessário realizar o pagamento de uma taxa para o ICMBio (órgão gestor da unidade de preservação). Nesse tour, um guia local, profundo conhecedor da mata, levará os visitantes pelas trilhas entre castanheiras e samaúmas centenárias.
A área mais indicada para o turismo é ao redor da comunidade Jamaraquá. Lá é possível fazer diversos tipos de passeios, sendo os mais procurados a trilha da Samaúma, passeio noturno de observação de jacarés e passeio nos igarapés. Mais informações e reservas podem ser feitas através do site casaflonadotapajos.com.br.